Pesquisar este blog

codigos blog

assine o feed

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Seguidores e seguidos!

29 setembro 2011

G1 Paraná Vídeos Especialista ensina a identificar crianças autistas

27 setembro 2011

AUTISMO-ROSYLUZES

26 setembro 2011

AMA iNFORMA Campanha Nacional pelo Autismo no País

Graças ao apoio da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência-SNPD, estamos dando inicio à primeira etapa da proposta de uma campanha nacional pelo autismo no país.
Esta primeira etapa compõe-se de um evento com capacitação em análise do comportamento, ministrada por profissionais com experiência nos Estados Unidos no atendimento a todo o espectro do autismo e por uma importante troca de experiências entre instituições brasileiras que trabalham com autismo.
O nome deste evento é a Campanha Nacional pela Assistência e pelos Direitos da Pessoa com Autismo que ocorrerá nos dias 21, 22 e 23 de Novembro de 2011, no Auditório do Hospital Cruz Azul na Rua Lins de Vasconcelos, 356 em São Paulo.
O programa do evento inclui 3 partes:
1. Fundamentos técnicos do atendimento ao autismo de nível leve, moderado e grave.
2. Fundamentos da organização de uma instituição para o atendimento ao autismo.
3. Troca de experiências entre as associações presentes.
Este evento será totalmente gratuito com alguns critérios adotados com o objetivo de distribuir as vagas.
Preste muita atenção, pois eles deverão ser rigorosamente seguidos.
1. As inscrições para Campanha Nacional pela Assistência e pelos Direitos da Pessoa com Autismo serão efetuadas a partir de um cadastro das instituições interessadas, aberto especialmente para este fim.
2. Só aceitaremos o cadastro de instituições. Não aceitaremos o cadastro de pessoas físicas.
3. Cada instituição poderá cadastrar até 5 profissionais.
4. Para efetuar o cadastro é obrigatório que a instituição responda e envie para a AMA (para o e-mail centrodeconhecimento@ama.org.br) Questionário “Levantamento Nacional pela Assistência e Pelos Direitos da Pessoa com Autismo”.
5. O cadastro poderá ser feito até o dia 14 de Outubro de 2011.
6. O cadastro será feito no site da AMA, www.ama.org.br. Para formalizá-lo pedimos uma contribuição solidária de R$ 10,00 por profissional cadastrado e é obrigatório o preenchimento do questionário pela instituição.
7. Atenção: o valor da contribuição solidária não será devolvido em nenhuma circunstância, incluindo a condição da instituição não ser selecionada.
8. A AMA fará a seleção dos inscritos sendo que na medida do possível será selecionado ao menos um representante de cada instituição cadastrada. Em caso da necessidade de desempate fica estabelecida a seguinte ordem:
1. Instituições filantrópicas e sem fins lucrativos que atendem apenas autismo.
2. Instituições filantrópicas e sem fins lucrativos que atendem também autismo.
3. Instituições particulares que atendem apenas pessoas com autismo.
4. Instituições particulares que atendem também pessoas com autismo.
ATENÇÃO - Há uma grande possibilidade de conseguirmos ajudar a custear uma passagem e três diárias para cada uma das 50 primeiras instituições cadastradas e localizadas fora do Estado de São Paulo. Este é um projeto que apresentamos ao Governo e cujo resultado deverá ser conhecido no inicio de Novembro.Será contemplado o maior número possível de instituições, em detrimento do número de profissionais por instituição.
O resultado do processo seletivo será divulgado até 30 de Outubro de 2011. As instituições serão informadas por e-mail e deverão confirmar a inscrições dos profissionais aprovados.
Em caso de dúvida, favor ligar para (11) 3376-4401 e falar com Ieva.
Fiquem atentos a esta oportunidade e apressem-se, pois as inscrições só irão até o dia 14 de Outubro.

16 setembro 2011

Genética ajuda a entender por que autismo é mais comum em meninos

 

  • Desequilíbrio entre os hormônios sexuais pode desestabilizar produção enzimática e influenciar o transtorno

autismomaiscomumemmeninoshomeApesar de as causas do autismo ainda não estarem totalmente esclarecidas, diversas pesquisas indicam que hormônios sexuais podem contribuir para sua ocorrência, já que o distúrbio é quatro vezes mais comum em meninos. Agora, um estudo publicado pelo PLoS ONE mostra que interações genéticas ajudam a entender alguns dos principais sintomas e explicar essa discrepante prevalência em crianças do sexo masculino.
A bióloga Valerie Hu, do Centro Médico da Universidade George Washington, e sua equipe descobriram que o gene retinoic acid-related orphan receptor-alpha (Rora, na sigla em inglês), que controla a produção de aromatase – uma enzima pouco presente em pessoas com autismo –, interage com o estrogênio e com a testosterona encontrados no cérebro.
Após analisar células neurais de doadores autistas já falecidos, os pesquisadores descobriram que quanto mais testosterona havia, menos ativo era o Rora – o que leva à diminuição de aromatase, responsável por converter testosterona em estrogênio. Em geral, o equilíbrio entre os hormônios sexuais regula a atividade do Rora e mantém os níveis de produção enzimática estáveis, mas uma pequena alteração pode desarticular todo o circuito. Pesquisas mostram também que camundongos desprovidos desse gene se fixam demoradamente em objetos e apresentam comportamento explorador limitado, como a maioria dos autistas.

Os autores do trabalho sugerem que esse desequilíbrio em cadeia possa ser uma das causas do distúrbio e que altos níveis do hormônio feminino estrogênio poderiam evitar o transtorno. “Eu não creio que um único gene responda a todas as questões, mas entender mais sobre o Rora sem dúvida pode ser um caminho”, reforça Valerie.

fonte:Uol

15 setembro 2011

Música do Ozzy Osbourne salva vida de Criança Autista

Joshua1

Um garoto autista de 8 anos chamado Joshua Robb sumiu de sua escola, em Twin Peaks, na Califórnia, Estados Unidos, e ninguém soube dele por cerca de 24 horas.  Os pais do garoto deram uma dica vital para os policiais que foram procurá-lo em uma floresta próxima:  ele é um fã de Ozzy Osbourne, astro do heavy metal.

Uma de suas músicas favoritas, “No more tears” (“Chega de choro”), um dos maiores sucessos de Ozzy, foi tocada em alto volume pelas caixas de som do helicóptero de resgate. Assim, esperava a polícia, o garoto se identificaria com o som e desistiria de se esconder. O tempo era curto, já que a floresta era densa e tinha chovido enquanto Joshua estava desaparecido.

Deu certo. O garoto saiu de trás de um arbusto, foi avistado pelo helicóptero e oficiais desceram em uma corda para resgatá-lo. Abaixo, imagens do resgate, feitas pela rede de TV americana KTLA.

 

Para a surpresa dos pais do garoto, que diziam que ele era tímido e não falava com estranhos, Joshua não só falou com os membros da equipe de resgate como também agradeceu por terem salvado sua vida.

Ozzy, que já sofreu um processo por um fã que teria se suicidado depois de ouvir uma de suas músicas, com certeza não esperava por essa.

fonte:colunas época - Blog Bombou

Mãe de autista cria página online

 

"Esta página é 'movimentada' principalmente pelos pais, formando uma plataforma de troca de conhecimentos e experiências demonstradas pelos autistas."

    • "Esta página é 'movimentada' principalmente pelos pais, formando uma plataforma de troca de conhecimentos e experiências demonstradas pelos autistas."

A "Autismo Pais em Rede", uma página no Facebook, surgiu da necessidade de uma mãe em saber mais e procurar mais informações sobre a doença do seu filho.

A "Autismo Pais em Rede" é uma página no Facebook que serve para a divulgação de problemas relativos ao autismo.

Quando o filho de Anésia Araújo nasceu, a informação nos Açores sobre o autismo era praticamente inexistente, mas esta mãe nunca desistiu de procurar todos os dados. Hoje em dia, com 15 anos de convívio diário com o autismo, Anésia Araújo passa a palavra aos pais que convivem com o mesmo problema e agradece-o à psicóloga Susana Pratas, que a incentivou a partilhar e avançar com este projecto, que hoje é visitado por pessoas de muitos países.

"O autismo é uma alteração cerebral, uma desordem que compromete o desenvolvimento psiconeurológico e afecta a capacidade da pessoa comunicar, compreender e falar, afecta o seu convívio social", explica. "O autismo infantil é um transtorno do desenvolvimento que se manifesta antes dos três anos de idade, umas vezes mais cedo ou até mais tarde, e pode variar do mais severo ao mais moderado. Depois existe também o Transtorno Desintegrativo do Desenvolvimento, que difere do autismo infantil por se evidenciar somente depois dos três anos de idade. O autismo atípico surge mais frequentemente em indivíduos com deficiência mental profunda e em indivíduos com um grave transtorno específico do desenvolvimento da recepção da linguagem. Por ainda não ter uma causa específica definida, é chamado de síndrome (ou conjunto de sintomas) e como em qualquer síndrome, o grau de comprometimento pode variar do mais severo ao mais brando e atinge todas as classe sociais, em todo o mundo", conta esta mãe.

"A 'Autismo Pais em Rede' é uma página no Facebook que serve para a divulgação de problemas relativos ao autismo. Esta mesma página é 'movimentada' principalmente pelos pais, formando uma plataforma de troca de conhecimentos e experiências demonstradas pelos autistas", explica.

"A página foi criada em Dezembro de 2010 e surgiu como forma de arranjar respostas para o esclarecimento de algumas dúvidas na evolução do autismo, transmitidas por pais e amigos", afirma Anésia Araújo, realçando que o facto de ser uma açoriana a criar esta "rede", "tem alguma importância, mas o importante é a divulgação de problemas deste género, independentemente da origem destes, ou de quem criou o espaço".

"A adesão dos utilizadores e seguidores do espaço tem sido esplêndida", afirma, para completar que "a página é movimentada ao máximo, diariamente, com muita informação, actualizada, e muitas respostas às questões lá colocadas". "Tem servido o propósito para o qual foi criada", conclui.

Seguidores e difusão são enorme ajuda

"A única maneira de ajudar a nossa página é continuando com a adesão, a partir dos seguidores. Quantas mais dúvidas, questões e respostas mais conhecimento e desenvolvimento adquirimos perante o autismo", diz. Em forma de apelo e conclusão, Anésia Araújo diz: "Todos nós, juntos, movemos o amor pelos nossos filhos. Temos de mostrar ao mundo como eles são amáveis e como podem ensinar a aceitação, a verdade, a persistência e a igualdade na diferença. Continuemos pais, famílias e amigos e vamos todos em rede tentar mostrar ao nosso País o empenho que temos na inclusão dos nossos filhos tão especiais".

Mais informação em:
http://www.facebook.com/profile.php?id=100001931161973


Fonte:Expressodasnove

Uma grande super produção no Theatro Municipal de Paulínia

Setembro/2011

 

Amigos e amigas,
Um espetáculo mágico, imperdível, um musical de grande emoção no Theatro Municipal de Paulínia. Dia 21 de Setembro de 2011 – 20h00
O Instituto SER apresenta – “Quasímodo”
Um clássico de literatura mundial, da obra de Victor Hugo, Nossa Senhora de Paris, ou como é mais conhecido “O Corcunda de Notre Dame”. Um grandioso musical, remontagem da ópera-rock da produção francesa de Luc Plamondon e Richard Cocciante, Le Bossu de Notre-Dame. Escrito em 1831 pelo genial Victor Hugo a história transcorre em 1492, ano em que a humanidade passava por grandes mudanças e adquiria novos conhecimentos científicos, geográficos, religiosos e políticos.
O espetáculo ganha vida em uma concepção moderna com efeitos especiais aéreos e um esplêndido espaço cenográfico.
O espetáculo emociona também pela proposta de dança e teatro inclusivos, com a participação de cerca de 70 portadores de deficiência em saúde mental, e se estrutura a partir de vivências de satisfação, em que o desejo impulsiona a aprendizagem motora, em um único projeto de desenvolvimento intra e interpessoal. Atores, cenário, música ao vivo, terapeutas, bailarinos convidados completam o elenco, com cerca de 150 personagens em cena.

Carlos Fróes - Diretor de Comunicação

Ingressos:
Ingresso rápido: já disponível, visite https://ingressorapido.com.br/ pela internet ou nos postos autorizados no Brasil
Nas bilheterias do Theatro Municipal de Paulínia: somente a partir de 15 de Setembro de 2011
Venda de ingressos para empresas: Secretaria do Instituto SER pelo fone: (19) 3272-2520
Alguns poucos ingressos a preços promocionais na secretaria do Instituto SER.
Valor dos Ingressos:
Inteira - R$ 30,00
Meia - R$ 15,00 – Estudantes, Pessoas acima de 60 anos, Portadores de Deficiência Física, Professores Estaduais e Moradores de Paulínia (todos com comprovante).

Instituto SER
Rua Arnaldo Barreto, 681
Bairro São Bernardo, Campinas, SP
CEP 13030-420 - fone/fax: (19) 3272 2520

Fonte e e-mail: comunicacao@institutoser.com.br

13 setembro 2011

Criança com autismo é capaz de avaliar o que a torna feliz

09092011_criancas001Uma das grandes dificuldades ao se avaliar a qualidade de vida de crianças, é que a maioria dos questionários disponíveis são respondidos por pais, responsáveis ou profissionais. No caso da criança com autismo tal fato é ainda mais marcante, uma vez que são poucas as pesquisas com este tema. Pessoas com autismo apresentam déficits de interação social, linguagem e interesses restritos e estereotipados. Por isso, muitas vezes parece difícil conseguir informações mais precisas sobre quem pertencen ao espectro autista, sem a intervenção de alguém que mantenha um contato mais direto. Entretanto, um estudo realizado pela terapeuta ocupacional Marília Bernal, do Instituto de Psicologia (IP) da USP, mostrou que é possível extrair da própria criança com autismo, respostas sobre sua qualidade de vida e o que a torna feliz.

Para a pesquisa foram utilizadas duas escalas: a Escala de Comportamento Adaptativo de Vinneland, que avalia o comportamento adaptativo das crianças, em áreas de atividades de vida cotidiana, linguagem e socialização, e uma escala que se propõe a avaliar os traços autísticos (ATA) por meio de pontuação de sintomas. Ao todo, 30 crianças entre 4 e 12 anos com autismo de alto funcionamento (crianças do espectro autista com melhor linguagem verbal e adaptação ao meio em que vivem), de Instituições especializadas em autismo da Grande São Paulo e da capital,  foram submetidas a um questionário, (Autoquestionnaire qualité de vie enfant imagé [AUQEI]), que consistia em perguntas sobre atividades e situações cotidianas, com um suporte de imagens, que auxiliavam nas respostas das crianças (algumas respostas eram representadas por carinhas felizes e tristes).

Este mesmo questionário foi adaptado para a terceira pessoa, a fim de que os responsáveis e professores pudessem respondê-lo pensando na criança. Assim foram respondidos pelos respectivos familiares das crianças e pelos 24 educadores que as acompanhavam. Nos resultados foram comparadas 3 amostras: crianças e familiares; crianças e educadores, e educadores e familiares.

Crianças mais felizes
Respostas diferentes aconteceram apenas em quatro perguntas referentes aos itens: sala de aula, lição de casa, quando pensa na mãe e quando brinca sozinho. Para os professores as crianças em sala de aula, fazendo a atividade de casa e pensando em suas mães, são mais felizes do que quando avaliadas pelos familiares. Já os familiares (quase todas mães) avaliariam as crianças mais felizes quando brincam sozinhas do que os seus professores.

A resposta dos três grupos ao questionário demonstrou que a qualidade de vida das crianças estudadas é satisfatória. Entretanto, duas foram as principais revelações: o questionário mostrou ser sensível para a análise da qualidade de vida de pessoas autistas mesmo quando respondido por adultos. Também demonstrou acessibilidade e facilidade para que o autista o compreenda e por si só e possa respondê-lo.

Marília diz que “o resultado do estudo foi muito importante porque demonstra a viabilidade de se encontrar meios ainda melhores que extrapolem a barreira comunicacional com o autista. Além de ser possível a valorização da resposta da própria criança com autismo. E é isto que verdadeiramente importa para o profissional: valorizar a criança, descobrir se ela está ou não feliz com sua vida, além de buscar entender os motivos que a levam a ter um ou outro sentimento.”

Os resultados ainda demonstram que há a necessidade de se validar métodos já pré-existentesou de se buscar por novas formas de avaliar pessoas com autismo tendo por base respostas que venham delas. A pesquisadora também ressalta que “os dados da pesquisa são importantes para a estruturação de serviços que atendam esta população.”

O mestrado Qualidade de vida e autismo de alto funcionamento: percepção da criança, família e educador foi defendido em 2010 e orientado pelo professor Francisco Baptista Assumpcao Junior, do IP.

Fonte:USP Notícias

04 setembro 2011

Portador de Asperger não tem plena compreensão sobre a morte

SÃO PAULO (Agência USP) - Questionada sobre a morte de uma namorada, a pessoa com síndrome de Asperger ou autismo de alto funcionamento limita-se a substituí-la por outra. Pois não consegue prever o seu comportamento diante de uma situação hipotética…. continue lendo

Cães ajudam a diminuir estresse em crianças autistas

    • Segundo uma nova pesquisa, cães-guias especialmente treinados podem reduzir o estresse em crianças com autismo.
Pesquisas anteriores já haviam demonstrado que estes cães podem ajudar crianças autistas em situações sociais e a melhorar a sua rotina diária. Mas o novo estudo é o primeiro a mostrar que eles podem trazer benefícios fisiológicos também..continue lendo clique em mais informações……….

03 setembro 2011

iPad ajuda no tratamento de criança autista com terapia audiovisual (vídeo)

Confira a experiência que foi contada por Shannon, mãe de uma criança autista chamada Leo, ela começa dizendo que após adquirir um iPad, o gadget mudou radicalmente sua vida e de seu filho, no modo de interagir.

Leo usa o iPad com apps que utilizam programas visuais que o ajudam na tarefa de soletração, e interage com alguns aplicativos que foram especialmente projetados e desenvolvidos para crianças autistas.continue lendo.....

Palestra fala sobre alimentação diferenciada para pessoas com autismo

02 setembro 2011

Cientistas identificam genes da 'magreza'

A pesquisa demonstrou que pessoas com cópias excedentes de certos genes são mais propensas a serem magras demais.

PARIS - Cientistas descobriram a causa genética da magreza extrema, o que pode ativar, em crianças, a chamada síndrome da falha de desenvolvimento ("failure to thrive", em inglês), segundo um estudo que será publicado na edição desta quinta-feira da revista científica Nature.continue lendo….

Detecção precoce pode melhorar qualidade de vida do autista

autSão Paulo (AUN - USP) - O autismo, ao contrário das crenças populares, não é causado por uma suposta “frieza” da mãe do bebê: é uma condição congênita, muito provavelmente relacionada a questões hereditárias e neurológicas que comprometem qualitativamente, em graus variados, a comunicação verbal, a interação social e o interesse da criança por atividades. Apesar de não haver cura para o autismo, é possível que a criança e sua família tenham uma melhor qualidade de vida por meio da orientação de profissionais.

Palestra aborda tema “Sexualidade e Deficiência Mental”

sxdSexualidade e Deficiência Mental. Esse é o próximo tema que será abordado pelo Dr. Francisco Baptista Assumpção Jr., de São Paulo-SP, na conferência marcada para amanhã, às 19h30, no auditório da Santa Casa de Campo Grande. Durante a manhã e a tarde, o professor se reúne com os dez residentes do Serviço de Psiquiatria e médicos preceptores, convidados a participarem do Curso de Psiquiatria Infantil.continue lendo……